Cabocla  Rosa de Jurema

Conheceu Tabajara nos primórdios da Tribo Tabajara. Filha primogênita de um Cacique Tupinambá, como de costume, seria sacrificada, por ter nascido mulher, sendo primogênita. Sua mãe decidiu levá-la para a mata e ali deixá-la aos cuidados da própria Natureza, livrando-a do sacrifício previsto pela tradição da tribo. Tornou-se amiga das feras e com elas convivendo, sobrevivendo com os frutos da Natureza - daí sua facilidade de dominar espíritos que se comportam quais feras e do uso freqüente de frutos da Natureza em seus trabalhos.

 

Quando já mocinha, veio a conhecer Chimovita (vide relato sobre Tabajara). Com o enlace dos dois se deu o início da Tribo Tabajara. Foi companheira de Tabajara em várias jornadas na Tribo, porém, não mais como esposa, permanecendo intocável nas reencarnações seguintes, pois sempre assumia a missão de Sacerdotisa, sendo então, materialmente intocável, mediante as tradições da Tribo Tabajara. Permanecia o elo de amor fraternal, cooperando um com o outro em todas as circunstancias possíveis.

 

Comanda a Cidade Juremá, na Planície Tabajara, com maestria, firmeza e bondade infindas. Este setor da Planície é ambiente de socorro espiritual permanente, de preparo de irmãos para novas missões na Terra, com orientação espiritual, palestras e várias outras atividades. Orienta os espíritos das irmãs Missionárias e das irmãs Sacerdotisas da Ordem Sagrada das Missionárias de Tabajara, em suas missões na Terra, tanto as encarnadas como as desencarnadas, proporcionando-lhes trabalhos materiais e espirituais úteis, para o burilamento de seus espíritos, visando um progresso espiritual constante.

 

Espírito inquiridor e pesquisador, já por várias partes do Universo esteve em missões de estudos e aprimoramento de seu espírito, possuindo vasto conhecimento em vários setores da Obra do Criador – o Universo. Seu espírito, junto aos Incas, desde os primórdios, já manifestava-se, irradiava e orientava, em todas as minúcias, visando o progresso de todos. Demonstrava, já naqueles tempos, um elevado grau de luz espiritual, a desdobrar-se em conselhos e irradiações úteis para com todos.

 

É espírito firme em seus propósitos e determínios. Na Aldeia de Jurema a lei é dura, firme, mas de uma bondade e dulçura infindas. Trabalha na Fraternidade Tabajara e na Fraternidade Espiritualista Caminho à Luz, assumindo o nome Cabocla Rosa de Jurema e em muitas outras casas de Caridade, com o nome Jurema ou outros.

© Fraternidade Tabajara.

Todos os direitos reservados.